Site do Centro de Documentação e Memória - ICEFLU - Patrono Sebastião Mota de Melo

Tradução Google

Portuguese Dutch English French German Italian Japanese Spanish



IDARIS
Linha do Tempo









 

Welcome to www.santodaime.org

Center for Documentation and Memory of the Doctrine

Eclectic Church of the Universal Flowing Light - ICEFLU - Padrinho Sebastião Mota de Melo
(Versão Português  )
Projeto da Nova Igreja

Projeto da Nova Igreja

Símbolo da união da Irmandade

Madrinha Rita

Madrinha Rita

Nossa matriarca e conselheira

Vila Céu do Mapiá

Vila Céu do Mapiá

Convivência com a natureza Amazônica

Madrinha Rita

Madrinha Rita

Nossa matriarca e conselheira 

Mestre Irineu

Mestre Irineu

Fundador da Doutrina

Padrinho Sebastião

Padrinho Sebastião

Patrono da ICEFLU e fundador do Céu do Mapiá

Hinários

Hinários

O principal acervo de ensinamentos e o núcleo do corpo doutrinário da nossa tradição

Feitio

Feitio

Preparação da bebida sagrada e ritual de iniciação

Feitio

Feitio

Preparação da bebida sagrada e ritual de iniciação

Padrinho Alfredo

Padrinho Alfredo

Atual lider espiritual do ICEFLU

0
0
0
s2sdefault

Manoel Gregório da Silva foi o primeiro morador da Colônia Cinco Mil, onde recebeu a família do Pad. Sebastião, recém chegada do Juruá. Nascido em Açu, no Rio Grande do Norte, desde criança ajudava os pais na agricultura, na colheita da palha de babaçu para fazer cera e caçando passarinhos para ajudar na alimentação dos muitos irmãos. Jovenzinho foi trabalhar nas salinas em Mossoró e pouco depois viajou com os pais para a Amazônia, para ser soldado da borracha. Na épica viagem foram escoltados por submarinos e zepelins em plena 2ª. Guerra Mundial. Seu destino porém estava traçado, embora já encaminhado para determinado seringal, a morte prematura de um irmãozinho seu, João Batista, em Manaus, fez com que a mãe não quisesse mais esperar o navio que os levaria e optasse por outro seringal, Adélia, vizinho de onde morava Sebastião Mota de Melo.


Daí em diante a história já é conhecida, moraram neste seringal por 8 anos, onde Sebastião conheceu e se casou com Rita Gregório. Com a decadência do ciclo da borracha, Nel e a família seguiram para Rio Branco-AC, onde um irmão era sargento, ficando só Sebastião, Rita e os filhos pequenos. No Acre Nel conheceu Cristina Raulino, por quem logo se apaixonou. Trabalhando duro abrindo estradas na enxada e no machado, ainda encontrou tempo para construir sua casa que logo estando pronta recebeu os recém-casados. Tiveram 10 filhos: Silvia, Antonio Jorge, Odemir, Roberval, Rosa, Maria Amélia, Rosineide, Rutilene, Sebastião e Sérgio (que fez a passagem ainda criança).


Mestre na agricultura, no feitio de Santo Daime, de açúcar, de farinha, de carvão e com muitas outras habilidades, Padrinho Nel foi grande companheiro e amigo do seu cunhado Sebastião. Acompanhou-o na ida ao Rio do Ouro e na abertura do Céu do Mapiá. Entre muitos causos contados, tem uma frase lapidar: “nesta Vila, aonde minha vista alcança, minha enxada já passou”.

No dia 6 de setembro de 2016, Manoel Gregório comemorou seus 88 anos acompanhado dos filhos, a mana Júlia, netos (sua neta Robervana aniversariou no mesmo dia), bisnetos, sobrinhos, familiares, afilhados e muitos amigos. Neste dia foi cantado O Justiceiro na igreja, no dia 7 teve almoço, oração e o bolo. Nossos rogativos a Deus que lhe dê muitos anos de vida, com muita saúde, felicidade e prosperidade. Viva os aniversariantes!






 


Texto e fotos: Oswaldo Guimarães – Secretário de Comunicação do IDARIS.